Periodização Literária

Periodização Literária

 

Podemos entender a literatura como não só a produção e composição de textos escritos em forma de prosa ou verso, mas como também todo o conjunto dessas produções de um determinado país ou de uma determinada época.

 

Em meados do século XII, quando Portugal se constitui como Estado independente, tem início a história da literatura portuguesa tal qual nós conhecemos hoje.

 

Toda essa produção é dividida em grandes movimentos, escolas ou estilos de época. A história da literatura apresenta ainda uma outra grande divisão, que são as eras, temos  história  literatura portuguesa, a era medieval, a clássica, a romântica e a contemporânea. A literatura brasileira também é dividida.

 

Em função da visão de mundo dos artistas e das características de cada período, essas grandes eras se dividem em momentos menores, chamados de movimentos ou escolas literárias. Esses movimentos não devem ser entendidos como compartimentos distantes, ao contrário, não há um período certo que marca o término de um movimento e início de outro, essa divisão é apenas um recurso didático para facilitar a compreensão, até porque há sempre um período de transição, entre a ascensão de um novo movimento e do declínio de um anterior.
Sempre temos autores que apresentam características não só de uma escola, mas de outras escolas, como é o caso de Camões, comumente estudado como um poeta do classicismo, mas que apresenta características medievais, maneiristas e até mesmo barrocas.

 

Há um estilo individual que representa a característica particular, a maneira do artista encarar a língua e o mundo, e um estilo de época, que corresponde ao conjunto das características comuns de um determinado grupo de autores num certo período da história.

 

Trovadorismo

 

É no ambiente palaciano que tem início o primeiro movimento da literatura portuguesa na era medieval, o Trovadorismo, que surge com a figura dos trovadores medievais. Trovadores vem do termo “trovador”, que significava “achar”, “encontrar”, cabia ao poeta encontrar a música e adequá-la aos versos. Neste período temos a imagem deste trovadores que produziam canções para serem tocadas ao som de instrumentos musicais.

 

O primeiro texto da literatura portuguesa que se tem registro é a “Cantiga da Ribeirinha” de Paio Soares de Taveirós, comumente classificada como uma cantiga de amor. Toda a produção poética desse período acaba sofrendo uma divisão, temos dois grandes grupos:

 

Cantigas líricas: predominam temas amorosos.

Cantigas satíricas: predominam a crítica e os efeitos cômicos.

 

As cantigas líricas por sua vez, se dividem em cantigas de amor e cantigas de amigo. As cantigas de amigo apresentam ambiente mais pastoril, mais voltado à natureza. As cantigas satíricas também apresentam uma divisão, temos as cantigas de escárnio e as cantigas de maldizer.

Post A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *